A imaginação do fotógrafo e a sessão do casamento

VAMOS ATÉ ALI pelo FOTÓGRAFO DE CASAMENTO

Nem sempre, no local onde decorre a festa do casamento encontro boas soluções para fotografar a sessão com o casal no dia do casamento. Aprendi, com o tempo enquanto fotógrafo de casamento, que é preciso hora certa e local amigo para que pessoas não habituadas a deixarem-se voar como luz, através de lentes, até ao fundo escuro dentro de uma máquina fotográfica possam fazê-lo com gozo e entrega.

Nunca se pode fazer retrato contra o fotografado. Por muito que o fotógrafo de casamento saiba usar as suas máquinas fotográficas, escolher a melhor lente para o resultado desejado nunca chegará a nada de jeito se não tiver os fotografados completamente entregues ao que estão a fazer. Seja para fingir uma situação qualquer, como personagens de um filme a estrear um dia destes, seja para que se veja que estão, mesmo, um com o outro, seja para que a felicidade do dia do casamento se projecte no sensor da minha câmara ou, também, usufruam com prazer daqueles momentos até que voltem para a companhia dos seus convidados.

Assim, antes do vamos que é hora, o fotógrafo no casamento deverá, quando se puder escapar por uns momentos, procurar os locais onde, pela imaginação que lhe não falta, antecipará todas as tomas fotográficas, poses e combinações . Ali, sim aqui, não, olha ali deve ser bom para…Fotografar sem máquina e sem objecto é um dos exercícios que mais gosto de fazer e que me são muito úteis na sessão com o casal. Acontece, quase sempre, que nada do que antecipei vai acontecer, mas é isso que me dá a principal razão de querer àquela hora apontar para o casal e…vamos, está na hora. E é um gozo, de ambas as partes, dizem-me.

Leave a Comment

  • (will not be published)