Casamento na Basílica de Mafra

UM DIA QUASE DE CHUVA e O FOTÓGRAFO DE CASAMENTO

Estava um daqueles dias onde sabia melhor estar ao redor de uma fogueira do que enfrentar os elementos para fotografar um casamento. Mas é assim, quando tem que ser, tem que ser. Meados de Abril, temperatura um pouco baixa e daquelas chuvadas que aparecem de repente e fazem das suas. No entanto não se pense que o fotógrafo de casamento passou o tempo em lamúrias entre fotografias.

Nada disso. Aventura é aventura e a dona chuva nem maçou muito a não ser a pobre da noiva no seu percurso entre o carro e a porta da Basílica de Mafra. Mas foi rápido e divertido. Na saída, provavelmente porque as senhoras nuvens e o dom vento devem ter-se apercebido do desconforto que iriam oferecer, não mais se sentiu molhado nem sombrinhas viradas ao contrário e as coisas do dia ficaram como deveria ser.

A Marta e Paulo tiveram o dia que lhes era merecido. Na Casa de Reguengos estava tudo como de costume e o fotógrafo de casamento pode ver partir os convidados sabedores de dia bem passado. Há dias assim, começam tremidos e acabam em grande. Assim seja sempre.

Share This:

Leave a Comment

  • (will not be published)