Casamento num mês de Outubro em Braga

BRAGA, A CHUVA e O FOTÓGRAFO DE CASAMENTO

Depois da amena tarde de ontem nas ruas de Braga ninguém adivinharia o que se viria passar, hoje, dia do casamento. Mas mais daqui a pouco. Para já o tempo estava de Outubro em Braga o que quer dizer ameno mas já um pouco fresco para fotógrafo de casamento que vem dos lados do sul. Com o Bruno a coisa foi informal já que entre amigos estamos mais à vontade não descurando a razão principal para ali estar.

Na passagem pela cabeleireira para tratar dos cabelos da Sónia fizeram-se as fotografias que se pretendiam com partida a grande velocidade porque a partir daqui o tempo deixa de ter tempo. Noiva pronta, preparar para sair e pequenas gotas de chuva, é normal assim me dizem, vindas nuvens que a conhecem e felicitam a caminho do sim.

Mas deviam de ser, antes, nuvens invejosas e ciumentas. Assim que a bela noiva se prepara para sair do carro à porta da Igreja, enviam as suas gotas, enormes, frias e dançarinas por vento muito ventoso que ou parecia que não a queriam casada ou não a queriam com o Bruno já à espera aconchegado junto ao altar. Mas a noiva que quer casar nada a pára e não houve chuva que a impedisse de chegar ao seu escolhido.

À saída da Igreja a chuva invejosa parou, um sol apareceu envergonhado entre as nuvens mas o suficiente para abençoar com luz boa o momento. Dali, festa. Vamos embora. Parece que as nuvens vieram a perseguir o fotógrafo de casamento, noivos, familiares e convidados e, à espreita, assim que os noivos se preparam para sair do carro e entrar no espaço da festa…tomem lá a cântaros. Mas tramaram-se porque não impediram que guarda-chuvas prontos e diligentes as impedissem de atingir os seus alvos. Uma vez lá dentro…é ver nas fotografias. Foi festa e o fotógrafo de casamento fez o que devia.

Share This:

Leave a Comment

  • (will not be published)