Andreia e Luís

No Convento do Espinheiro, a noiva com a irmã, que lhe prende o véu no cabelo, e uma menina na sua frente que observa, vistas pelo fotógrafo de casamento em Évora.

Tenho um especial carinho por este trabalho que fiz no casamento da Andreia e do Luís no Convento do Espinheiro em Évora. Foi uma daqueles em que tudo parecia bater certo como naquelas canções onde sentimos que a melodia e o som das palavras cantadas por quem as canta assentam sem falhas.

O fotógrafo de casamento estava em dia sim, parecia que os seus olhos se dirigiam sempre para o onde estava fotografia e a sincronia entre os seu dedo indicador e o obturador das máquinas fotográficas pareciam estar sempre em comunicação e de acordo com o momento ideal para recolha dos momentos a serem transformados em fotografias.

Há dias assim, daqueles onde começamos a trabalhar e, quando damos por isso, muitas horas depois, já está, acabou e temos que ir embora. Este foi sem dúvida um desses. Não o único, claro, e, se correrem os olhos pelas fotografias que aqui deixo, tenha certeza que chegam à mesma conclusão.

Ou então foi coisa de fotógrafo de casamento sempre embebido no que está a fazer no momento e acha que os outros também dão por isso. Mas que foi, foi.