Noiva já dentro do automóvel que a levará para a cerimónia, numa composição pelo fotógrafo de casamento em Cascais.

O fotógrafo com o que lhe faz falta, para os casamentos

O QUE SERÁ? pelo FOTÓGRAFO DE CASAMENTOS

Noiva já dentro do automóvel que a levará para a cerimónia, numa composição pelo fotógrafo de casamento em Cascais.

Quando escolho as fotografias, dentro de todas as que fotografo num casamento, pergunto-me, muitas vezes, o que me dá aquela motivação para saber porque escolhi aquele ângulo, aquele ponto de vista ( lugar que o fotógrafo escolhe para fazer a fotografia) e, mesmo, a percepção que o momento do click era aquele.

Ou seja, perante fotografia já feita e, também, já longe do acontecido, me questiono quais foram todas as variantes que levaram à mesma. Para além do prazer de ter à minha disposição tantos e tantos pontos vista, tantas e tantas fotografias prontas a acontecer, ainda me espanta com as ferramentas que preciso usar de modo a apanhar esta e aquela.

Já escrevi sobre o ponto de vista, mas, muitas outras coisas são necessárias para que uma fotografia o possa ser.

Observar a cena e escolher o pedaço que penso ser o melhor, depois verificar qual o ângulo que melhor irá dar vida a esse pedaço, a seguir detectar como é que os elementos do pedaço o compõem, com a harmonia que qualquer máquina fotográfica adora e finalmente, definir qual é o momento certo para dar, isto tudo, como finalizado.

Deve, contudo, pensar que o fotógrafo de casamento não se pode dar ao luxo de fazer cada uma destas partes isoladamente e com perda de tempo porque o pode fazer perder tudo o que de tão precioso começou por observar.

Assim, o fotógrafo de casamento, como qualquer especialista em artes marciais, treina o seu cérebro e o seu corpo para que num espaço de tempo que, na verdade não pode perder o tempo, consiga fazer tudo ao mesmo tempo para captar aquele precioso momento, no tempo.

Devo dizer que é um exercício que me dá uma mistura de prazer, excitação e responsabilidade. Se fosse apenas um fotógrafo presente no casamento, sem a responsabilidade de entregar uma história para poder ser contada depois, talvez não precisasse de me tornar exímio em conseguir uma coisa que a Física prova como impossível.

Que várias coisas consigam ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo. Eu consigo. A sério.

Noiva a ser penteada, vista por detrás com a tiara na cabeça.
As alianças do casamento sobre almofadas dentro de uma uma caixa.
Noiva, sentada, na fase de preparação dos cabelos.
Noiva brinca com um menino.
Silhueta da noiva já com o vestido.
Noiva a rir enquanto é maquilhada, vista por uma frincha da porta.
Os sapatos da noiva no sopé de uma coluna da casa.
Noiva ser cuidada na maquilhagem e nos cabelos.
O pai da noiva acerta-lhe uma ponta do cabelo.

Leave a Comment

  • (will not be published)