O fotógrafo com os que fazem o dia do casamento na Adega Regional de Colares

POR ALI pelo FOTÓGRAFO DE CASAMENTOS

Ou como os fotógrafos de casamento se sentem atraídos pelas atracções dos outros. Assim mesmo, por ali. Uma das coisas que gosto muito de fazer quando estou a fotografar um casamento é, simplesmente, vaguear por ali sem nenhum compromisso especial e observar todo aquele tecido que se vai tecendo no vai e vem de abraços, beijos e outras coisas que as pessoas fazem quando se juntam, em dias importantes.

Por outro lado, essas pessoas, muitas vezes, vêm de muito tempo sem que os olhos de uns se dirijam aos olhos dos outros a sorrir muito. E isso é como um magneto poderoso que os atrai e, fundamentalmente, a qualquer fotógrafo, mesmo que não de casamento. Como levo comigo umas lentes completamente desenfreadas, o meu problema é conseguir agradar a todas porque cada uma delas se acha a melhor, para aquele momento que acabámos de detectar ali ao fundo no lá vamos nós, mais rápidos que super heróis de banda desenhada americana.

No fim do dia, além daqueles momentos obrigatórios e que se repetem de casamento para casamento, são essas miragens aleatórias de tantos com tantos que nos entregam, a mim é às minhas lentes, muitas das melhores fotografias que trouxemos connosco. É por isso que um casamento vai muito para além da ligação de duas pessoas através de uma cerimónia simbólica onde disseram sim um ao outro. É, mesmo, muito mais do isso.

Noiva abraçando a sua filha ao colo num casamento na Adega Regional de Colares.
Menina abraçando um menino durante a festa de um casamento.
Mãe da noiva rindo muito enquanto fala com convidados do casamento.
Grupo de crianças e adultos ,numa sala, esperando pela cerimónia do casamento.
Grupo de rapazinhos no casamento, sentados, a ver coisas numa tablet.
Avós tomando conta da netinha antes da cerimónia do casamento.

Share This:

Leave a Comment

  • (will not be published)