De pé e encostada sobre o ombro do noivo, a noiva olha para ele e sorriem, na sessão com o fotógrafo de casamento em Sintra.

O fotógrafo de casamento em Sintra e os desejos dos que desejam aos noivos

O QUE TODOS DESEJAM pelo FOTÓGRAFO DE CASAMENTO

De pé e encostada sobre o ombro do noivo, a noiva olha para ele e sorriem, na sessão com o fotógrafo de casamento em Sintra.

Dia de grandes esperanças. É assim que fotógrafo de casamento o vê, o dia do casamento. Antes de andar pelas lides dos casamentos, como um saltimbanco sem palco em sítio certo, tinha uma ideia deles um pouco diferente da que tenho apesar de, também, por lá ter passado.

Parece que a nossa própria experiência não conta muito para fazermos uma ideia do que isso será para os outros. Só quando começamos a frequentá-los, não como se frequenta uma sala de cinema ou um qualquer lugar de convívio, mas como alguém que tem a responsabilidade de o levar, ao dia do casamento, para longe no tempo, começamos a fazer uma leitura completamente diferente.

Desde o momento em que o noivo e a noiva se entregam à azáfama dos penteados e dos fatos e vestidos que se nota que o fotógrafo de casamento está num lugar especial.

Tão especial que repara nos semblantes deles, da noiva e do noivo, dos pais e outros familiares próximos, que mais do que se sentirem vítimas de um roubador de momentos deles que transforma em fotografias, os vejo com os olhos lá longe, com a certeza de que eles vão partir para uma caminhada na vida a que todos desejam toda a bem aventurança que a vida lhes permita.

Ninguém ali me entregará fotografias de casamento que não levem dentro delas esse desejo quer sejam em forma de sorrisos, olhares cheios de amor, palavras de futuro desejoso no cumprimento de todas as esperanças que partem com aquele momento cerimonial onde um sim, eu aceito, sela e transforma o que, mesmo que simbolicamente, duas pessoas, de olhos nos olhos, juram um ao outro.

É isso que o fotógrafo de casamento vê em todas as vezes que lá está, num casamento. É claro que ele não está lá simplesmente para ser testemunha, olhar para os que o ladeiam e garantir que também viu, também o sente e depois deleitar-se com as iguarias que vão estar ao seu dispor até que seja hora de partir porque a festa…já foi.

Não é esse o seu papel. Ele, o fotógrafo de casamento, terá que saber encontrar esse desejos, essas expectativas de grandes esperanças e levá-las dentro das fotografias que está encarregado de apanhar.

Nunca é um problema porque elas, as fotografias, são muitas e será nelas, como se tivessem sido um espelho onde apenas é possível verem-se neles já depois de terem passado à sua frente, e, em vez de verificarem o penteado ou dar um acerto no vestido, seja possível ver nos rostos de cada um que todos, sem excepção, estavam a olhar para a frente, para um futuro lá longe e esperando, nele, terem-se cumprido todas as grandes esperanças que as fotografias do casamento souberam mostrar.

Será esse, também, o desejo do fotógrafo de casamento.

Os noivos dentro de um tuk-tuk quando chegam à quinta do Lumarinho para a festa do casamento.

Os noivos descem as escadarias da Quinta do Lumarinho que levam à sala de festas, vistos pelo fotógrafo de casamento em Sintra.

No meio das grandes árvores do jardim da Quinta do Lumarinho, a noiva, sentada sobre uma grande rocha, ri enquanto posa para o fotógrafo de casamento em Sintra.

Leave a Comment

  • (will not be published)