No fundo de um corredor do Palácio Estoril Hotel, a noiva espera para entrar na sala da cerimónia do casamento, captada pelo fotógrafo de casamento em Cascais.

O fotógrafo de casamento no Estoril e a passadeira vermelha para o altar da cerimónia

ENTRADAS pelo FOTÓGRAFO DE CASAMENTO

No fundo de um corredor do Palácio Estoril Hotel, a noiva espera para entrar na sala da cerimónia do casamento, captada pelo fotógrafo de casamento em Cascais.

A entrada para a cerimónia do casamento é, talvez, uma das mais simbólicas com que o fotógrafo de casamento se defronta durante a sua cobertura do dia do casamento. Pelo menos para mim, que gosto muito de fotografar os noivos entrando na igreja ou por debaixo das árvores sombreireiras de uma Quinta para cerimónia civil.

Por um lado, porque tem ali uma rapidez que me obriga a usar todos os meus artifícios aprendidos ao longo dos anos de profissão e, por outro, porque sei que vou retirar dos noivos, sempre, algumas emoções que irão dar em fotografias que completam perfeitamente a história do dia. A

gora o resultado final, fora o que compete ao fotógrafo saber fazer, o enquadramento no espaço, a composição e os chamados momentos certos para a feitura dela, da fotografia, está completamente dependente dos personagens, ou actores, no caso são exactamente o mesmo, que vão iniciar aquela pequena, mas intensa, caminhada até ao pé do outro, que espera para dizerem sim daqui a pouco.

Quanto ao que vou roubando para fotografias do casamento depende, de facto, dos fotografados. Se são tímidos, se são eufóricos, se são contidos, se são cerimoniais, se são expectantes e por aí fora, porque há mais géneros, no mundo dos noivos prestes a deixarem de o ser, do que estrelas há no céu. Por causa disso é sempre imprevisível o que o fotógrafo de casamento vai encontrar nesse dia.

Não é a primeira vez que uma noiva, ou um noivo, eufóricos durante toda a manhã enquanto se preparam com os preparos necessários para que se tornem noivos em dia de casamento, e, ali, naquele corredor que leva ao vórtice essencial, me oferecem uma timidez, um olhar para o chão como se tivessem receio de magoar a tapeçaria que os leva até lá, ou vice-versa e para não falar de quem os acompanha, também vítimas de serem roubados pelo fotógrafo de casamento.

Mas uma coisa o fotógrafo de casamento sabe. Sabe porque os acompanha passo a passo e porque comprova nas fotografias do casamento que leva consigo. Seja qual for a tal reacção que o caminho sobre passadeira vermelha revela às minhas lentes, sei que é tudo verdadeiro e que vem do coração. Nada ali foi inventado, encenado ou fingido.

É mesmo assim e é assim que eu gosto. Qualquer pessoa que exerce uma profissão, mesmo que a saiba fazer bem, precisa de uma razão que a motive todos os dias para voltar a exercê-la. Para mim, como o fotógrafo de casamento no lugar, é essa verdade na emoção, que vem do coração, que testemunho, apesar de não ter tempo para grandes observações que não resultem em fotografia, e porque confirmo nelas, nas fotografias que trago comigo desses momentos.

É essa a motivação essencial para que queira sempre voltar como fotógrafo de casamento…num casamento.

Rindo muito, a noiva entra na Sala da cerimónia no Palácio Estoril Hotel seguida pelo fotógrafo de casamento em Cascais.

No meio da sala da cerimónia do casamento, a noiva dirige-se para a mesa cerimonial no Palácio Estoril Hotel onde a espera o noivo.

A noiva sorri olhando para baixo, emocionada por ter chegado junto do noivo para a cerimónia do casamento no Palácio Estoril Hotel, pelo fotógrafo de casamento em Cascais.

Os noivos sentados à mesa cerimonial, vistos num espelho do Palácio Estoril Hotel, num momento visto pelo fotógrafo de casamento em Cascais.

Fotos de um casamento com cerimónia e festa no Palácio Estoril Hotel Golf & Wellness.

Leave a Comment

  • (will not be published)