O fotógrafo depois da cerimónia de casamento no Penha Longa Resort em Sintra

AGORA, SÓ EM FRENTE pelo FOTÓGRAFO DE CASAMENTO

De certeza que é uma das fotografias mais icónicas roubadas num casamento. Os noivos, depois do sim e de tudo o que foi jura e já livres das emoções mais ansiosas, percorrem o corredor que convidados tiveram o labor de construir como se fossem formigas a saber, cada uma delas, o seu lugar e o que fazer para celebrar o casal que os trouxeram para ali.

O fotógrafo de casamento é testemunha que é já muito diferente do que era quando fizeram o caminho inverso. Agora já está, era o que queriam e é só lugar para festa no fim desse corredor. É o corredor do futuro e mais além, como se dizia num filme de animação. É claro que as pétalas no ar, alguns grãos de arroz presos no cabelos e aqueles risos de missão querida, dão o tom de credibilidade e garantia de que cena não foi de filme.

Simbólicamente é a partir deste ponto que uma vida em comum se desenha e se quer longa e feliz. Querem os que acabaram de casar, os que estiveram com eles e testemunharam e o fotógrafo de casamento que não está ali só pelo negócio. Também é gente e sente. E só assim as fotografias que apanhou podem ter sentido e ser genuínas. Não podem, apenas, ter sido electrónica de máquina fotográfica.

Uma fotografia do casal, entre os convidados, enquanto é banhado por pétalas de flores, depois da cerimónia do casamento no Penha Longa Resort em Sintra.

Saiba mais sobre Fernando Colaço, o fotógrafo de casamentos. Porque razão fotografa casamentos ou qual é o seu método de trabalho.

Share This:

Leave a Comment

  • (will not be published)