O fotógrafo e a quantidade certa, num casamento

O MEIO TERMO pelo FOTÓGRAFO DE CASAMENTO EM LISBOA

Algumas fotografias que contam uma história. Uma das coisas que, muitas vezes, me coloco tem a ver com a quantidade de fotos que podem contar uma história com tempo e espaço limitados. Provavelmente, depende do que observamos e fazemos. Já, naquelas conversas com colegas de profissão, discutimos este assunto vezes sem conta.

Existem aqueles fotógrafos de casamentos que afirmam que conseguem contar, de forma completa, o dia do casamento com muito poucas, mas fundamentais, fotografias e outros, no lado oposto, que acham que se deve fornecer aos clientes o mais possível de variações do que se vai passando e fotógrafo apanhando. Achei a conversa sempre engraçada porque, na minha opinião qualquer uma das facções pecava ou por defeito ou por excesso.

Mas não deixo de concordar com os dois lados. Sei, por experiência, que posso reduzir o conto em poucos pontos e não lhe faltar o essencial, faço-o nos meus albums. Mas, também, sei que para lá do essencial existe um mundo inteiro dentro desse dia, e esse mundo também precisa de ser ponto no conto. É aí que acho que me situo, na quantidade certa, aquela que contem o essencial mas que, também, tem muitos mais pontos…para o conto. Não sei se ficou esclarecido…mas é a opinião, ou a questão, deste fotógrafo de casamento.

Algumas fotografias de um casamento na Capela de Nossa Senhora da Conceição da Abóboda, S. Domingos de Rana.

Saiba mais sobre o trabalho de fotografia de Fernando Colaço. Porque fotografa casamentos,  qual é seu método de trabalho, respostas que procura, conselhos que pode precisar para o dia do seu casamento, encontrar alguns parceiros para os serviços que precise  ou como cantactá-lo para receber toda a informação necessária.

Share This:

Leave a Comment

  • (will not be published)