O fotógrafo na fotografia a preto e branco, em casamento na Adega Regional de Colares

FOTÓGRAFOS DE CASAMENTO e as FOTOGRAFIAS A PRETO E BRANCO

Aqui encontra uma explicação porque muitas das minhas fotografias são a preto e branco. Mas nunca conseguirei, em qualquer texto que escreva sobre o assunto, esgotar as razões porque o faço. Porque gosto, demasiado generalista. Porque me sabe bem, demasiado egoísta. Porque é melhor do que a côr, demasiado personalista. Porque…

É verdade que foi como comecei. O gosto, como é óbvio, ficou. Ainda me lembro da minha luta contra os químicos em forma líquida, contra as temperaturas, contra as lavagens do papel e, antes disso, os tempos certos de exposição debaixo da luz vermelha e das discussões este filme é que é bom, nada me tira este papel e o resultado com aquele líquido de revelação é que dá, para mim, é claro. Nestas discussões acabamos de ficar muito impositivos, como se só nós é que soubéssemos o segredo. É que estas coisas inebriam e tiram o juízo.

Por isso, quando fiquei fotógrafo de casamento era óbvio que o preto e branco, em fotografia, teria que acompanhar o resultado final do meu trabalho colhido lá, no meio de noivas e noivos e pais deles e padres e conservadores e tios e tias e primos e primas e amigos e amigas e avós e sobrinhos e, algumas vezes, cães e gatos e um ou outro piriquito e eu no meio deles todos a roubar-lhes os melhores gestos e olhares e abraços e todas as coisas que as pessoas fazem num dia casamento. Se acho que ficam melhor a preto e branco? Acho.

Noiva a verificar, ao espelho, se o vestido está pronto para a cerimónia do casamento.
Noiva apertando, com as mãos atrás do pescoço, o colar.
Noiva, sentada, vista por uma frincha de porta.

Casal de noivos sorrindo em frente um do outro sob grandes relógios de parede.

Share This:

Leave a Comment

  • (will not be published)