O noivo, em frente à noiva, quando lhe entrega a aliança no dedo na cerimónia, pelo fotógrafo de casamento.

O fotógrafo naquele momento, num casamento

AS ALIANÇAS pelo FOTÓGRAFO DE CASAMENTO

O noivo, em frente à noiva, quando lhe entrega a aliança no dedo na cerimónia, pelo fotógrafo de casamento.

Aquele momento. Aquele momento que, assim que se aproxima, põe os fotógrafos de casamento num quase pânico e os faz ter uma daquelas vivências estranhas onde nos parece que começou, acabou e nem nos apercebemos do lado do meio, o que aconteceu.

Pela importância do momento, pela rapidez do momento, pelas imponderabilidades do momento e, especialmente, pela responsabilidade que se tem pelo momento. Para os que vão testemunhar o momento, é apenas um acto simbólico, o centro de tudo, a razão porque aquela galáxia de convidados, com rotação em volta do casal de noivos, que os transforma em outra coisa como se os anéis, tal como nos filmes, tivessem aquele poder e magia para transformar o que era, noivos, no que é, marido e mulher, e, fundamentalmente, no que será.

Mas, para o fotografo que fotografa o casamento….

Bem, para o fotógrafo de casamento é um vórtice de decisões. De onde é melhor ângulo, de como pode ser arrojado sem interferir com a paciência do senhor padre, respeito é fundamental, como é que vai poder fugir ao microfone que o goza à grande sempre a pôr-se em frente da cara do noivo, a tapar as mãos da noiva quando a aliança está prestes a habitar o dedo que transportará o tal símbolo para sempre.

Como ter a certeza de que a criança das alianças que só olha uma vez na sua direcção é a que fica, antes que o tal senhor padre a tape com sua batina sem que seja possível saltar para outro ponto de vista, porque o tal respeito pelo acto e pelo local o obrigam. Depois é um momento onde o que é fugaz é o que interessa para a pantalha ou, de preferencia, para o papel onde aparecerá, ali ao cantinho do olho bem disfarçada, aquela lágrima de amor, bastante contida mas sentida.

O tamanho do texto não o permite, mas poderia escrever uma autentica odisseia com capítulos e sub capítulos sobre as aventuras e desventuras de um fotógrafo de casamento no momento cerimonial das alianças em frente à mesa decorada de flores no dia de um casamento.

Talvez a imaginação o conseguisse, o talento esgotar-se-ia ao fim de alguns parágrafos mas, acreditem que essa odisseia do fotógrafo de casamento nestes momentos com anéis é verdadeira e daria para obra profunda, em caneta entre os dedos de escritor condigno, sobre controlo, atenção, observação, desafio, respeito, compromisso e, acima de tudo, empenho. Pelo menos, falo por mim.

Mas parece que todos temos o defeito do exagero quando as coisas nos tocam e talvez não seja assim tanto como me parece e não fiquem preocupados porque é como disse no princípio, nem damos por isso.

Contudo, garanto-vos, é assim que o vivo todas as vezes que chego ao momento com momentos que se não podem perder e, até hoje, vieram todos comigo.

O noivo, em frente ao microfone na mão do padre, jura, de mãos dadas com as da noiva, momentos antes da troca de alianças.
A noiva, em frente do noivo, no momento do juramento para a troca de alianças do casamento.
A menina das alianças, de mão dada com a sua mãe, a caminho do altar para as entregar aos noivos na cerimónia do casamento.
As alianças do casamento, num pedestal com um coração em branco.
O noivo recebe a aliança do casamento, entregue pela noiva à sua frente.

Leave a Comment

  • (will not be published)