Por entre os familiares que lhes atiram pétalas de flores, os noivos abraçam-se de alegria por ter terminado a cerimónia do casamento, num momento captado pelo fotógrafo de casamento em Lisboa.

O redemoinho do fim da cerimónia e o fotógrafo de casamento em Lisboa

UMA CERIMÓNIA DE CASAMENTO, CAPÍTULO 11, pelo FOTÓGRAFO DE CASAMENTO EM LISBOA

Por entre os familiares que lhes atiram pétalas de flores, os noivos abraçam-se de alegria por ter terminado a cerimónia do casamento,  num momento captado pelo fotógrafo de casamento em Lisboa.

Pronto. Acabou a cerimónia do casamento e estão casados, a representante do estado já guardou os documentos e, também ela, dá os parabéns à Rita e Dylan, agora marido e esposa documentados e aprovados para registo que ficará para os anais da história.

O fotógrafo de casamento aproveita as fotografias que saem daqueles rostos felizes e de objectivo cumprido, antes dos familiares e convidados tomarem conta com os seus beijos e abraços carregados de desejos de felicidade para sempre. Há sempre mais um ponto de vista ou, até, retomar um deles com, agora, diferentes fotografias porque a vida já mudou, cumprindo o que para ali foi desejado há muito.

Entre os sorrisos de já está e o alívio pelo fim do cerimonial formal, as fotografias de casamento não param de se alterar por cada vez que a minha lente dá por elas.

Depois, bem, depois é a euforia. A contenção dá lugar à alegria solta e festejante, os que os amam querem mostra-lhe em beijos e abraços o quanto querem e desejam que sejam felizes e tenham boas vidas, de tal maneira que nem se dão conta que o fotógrafo de casamento está ali a levar todas essas emoções com ele, em cópias que se tornarão, com o tempo, na única realidade que ficou daqueles momentos, salvo nas memória de cada um, mas de pontos de vista completamente diferentes.

É engraçado porque me dei conta, mesmo agora, que qualquer uma das memórias visuais que cada um dos contracenantes tem, ou terá, se exclui a si próprio. Nas memórias visuais que cada um leva desse dia, incluindo os noivos, nenhum deles se vê a si, apenas o que foi aparecendo diante dos seus olhos, ou seja, os outros. É a única certeza que têm de que lá estiveram.

Para resolver isso, foi inventado, nunca descobri por quem, o fotógrafo de casamento. Ele é, entre todos os presentes o único capaz de juntar no mesmo plano de memória, a fotografia, todos os que ao longo do dia vão contracenando ou preenchendo cenografias necessárias ao contexto do dia.

Sem ele, aquele acontecimento pode, um dia, não ser mais do que uma certeza de data mas apenas uma lembrança esboroada na memória da maioria dos que lá estiveram. Sem ele, as fotografias que podiam ter sido apanhadas, nunca chegariam a ver a luz que as mostra a todos os olhos que sobre elas se debruçam.

Só ele tem o condão de transformar momentos compostos pelos que estão no casamento em fotografias que soube, naquele tempo certo, levá-las para que se mostrem sempre que seja necessário trazê-las de volta, às memórias.

Pelo menos é o que este fotógrafo de casamento acha, a não ser que esteja enganado e precise de refazer a sua teoria.

Os noivos ainda sentados na mesa cerimonial com a conservadora, depois de ter acabado a cerimónia, vistos pelo fotógrafo de casamento em Lisboa.

A noiva emoldurada pelos ramos desfocados de uma oliveira assim que terminou a cerimónia do casamento em Lisboa.

O noivo emoldurado por uma pequena nuvem transparente originada pelos ramos de uma oliveira desfocados, numa composição do fotógrafo de casamento em Lisboa.

Vista por uma abertura de luz por entre dois convidados, a noiva, ainda sentada, quando acabou a cerimónia, conforme o fotógrafo de casamento em Lisboa a viu.

A irmã da noiva e o seu marido, abraçam a noiva ao felicitá-la pelo casamento, assim que terminou a cerimónia, pelo fotógrafo de casamento em Lisboa.

Entre os familiares, a noiva pega no seu sobrinho que sorri para ela, quando terminou a cerimónia do casamento e todos a querem felicitar, num momento pelo fotógrafo de casamento em Lisboa.

O noivo ri de alegria ao segurar a noiva pelo braço quando uma amiga, desfocada, lhe tira uma fotografia, num momento captado pelo fotógrafo de casamento em Lisboa.

De mãos nas mãos, os noivos de frente um para o outro riem com grande alegria por ter terminado a cerimónia, conforme os captou o fotógrafo de casamento em Lisboa.

Os noivos abraçam-se ao festejar o fim da cerimónia de casamento, captados pelo fotógrafo de casamento em Lisboa.

O pai do noivo e a mãe da noiva atiram flores os noivos enquanto eles se abraçam, felizes por ter terminado a cerimónia do casamento, visto pelo fotógrafo de casamento em Lisboa.

A noiva, junto do noivo que olha para outro lado, ri muito para alguém à sua frente, rodeada pelos familiares que estiveram com eles na cerimónia do casamento, conforme confirma o fotógrafo de casamento Lisboa.

A irmã do noivo conversa com a noiva, de costas e desfocada, já depois de tar acabado a cerimónia do casamento, assim as viu o fotógrafo de casamento em Lisboa.

O noivo, em frente da noiva desfocada, olha para ela de olhar feliz, no momento em que o fotógrafo de casamento em Lisboa os viu.

O pai do noivo limpa uma lágrima emocionada, junto da sua mulher e mãe do noivo quando olham para os noivos já casados, vistos pelo fotógrafo de casamento em Portugal.

Leave a Comment

  • (will not be published)