O ver do fotógrafo, em dia de casamento no Algarve

A GRANDE DÚVIDA pelo FOTÓGRAFO DE CASAMENTOS

Tenho uma grande dúvida que vive comigo desde que fotografo casamentos, a minha grande experiência a captar pessoas em grupos e em acção. Antes, a atenção das lentes das minhas máquinas fotográficas eram coisas desanimadas, sem o animo de vida, mas com muita personalidade que mereciam uma grande atenção para combinar cores, formas, escolha de fundos, etc. Deixo à vossa imaginação.

Mas desde que comecei a fotografar casamentos deparei com um mistério que ainda hoje me persegue e que ilustro com esta fotografia para ver se me percebem melhor. Fui eu que soube escolher esta fotografia, que estava no local à espera de ser feita, ou foram os elementos, neste caso as pessoas, que lá estavam que me ofereceram este estar no lugar certo, a fazer a coisa certa e enviaram mensagem àqueles anjinhos meus amigos, de quem já aqui falei várias, que me deram aquele sinal, que entendo sempre, e sem que seja mérito meu…já está.

Gostaria de vos dizer que os anjinhos não têm nada a ver com isso, que as pessoas não querem saber do fotógrafo de casamentos para nada e que o mérito é todo meu porque tenho aquela capacidade de observação, que domino a técnica da composição e do uso do meu equipamento e sou muito….mas não sei. Cá para mim são as pessoas que acabam por gostar de mim e se vão pondo a jeito para que eu dê por isso e aproveite. Ou…as duas coisas, pronto. Quanto aos anjinhos……

Noivos brincando com o seu bebé, vistos por uma criança com o ramo da noiva na mão.

Share This:

Leave a Comment

  • (will not be published)