Onde ao fotógrafo não basta ser rápido a seguir à cerimónia do casamento

A ATRACÇÃO DAS EXPRESSÕES pelo FOTÓGRAFO DE CASAMENTOS

Se há alturas, no processo do dia do casamento, em que os fotógrafos de casamento estão completamente à mercê da espontaneidade é na altura, assim que acaba a cerimónia, em que o casal recebe as felicitações por parte das famílias e dos convidados. É um autentico jogo de caça ao rato porque a rapidez com se passa é, em termos fotográficos, uma corrida de Fórmula 1 ou, melhor, de Rally do campeonato do mundo com as suas curvas e contracurvas abruptas e saltos em topo de colina que tanto apela aos fans.

Não desfazendo do resto das partes do dia, aqui é um autentico toma lá e vê se apanhas. Tenho a noiva a receber cumprimentos e no momento que sinto para foto alguém passa pelo meio e me estraga o momento do dia… podia ser. Quando me parece que tenho a expressão mesmo, mas mesmo, como desejo a atenção muda para outro convidado e já era. Ter dezenas e dezenas de pessoas desejando a mesma coisa num espaço de tempo curto leva a alguns momentos de euforia colectiva e porque para muitos já é hora de aconchegar estômagos, gera uma mistura de assunto desejado e uma luta titânica para ir apanhando fotos por parte do fotógrafo de casamento.

Parece que, pelo lado do não do outro parágrafo, o fotógrafo de casamento prefere abandonar a luta e passar para a próxima. Ao contrário, é aqui que se vê se é capaz de ser rápido na descoberta, eficaz no momento e lesto na procura da próxima. É como se estivesse dentro de um jogo onde o único objectivo seja ganhar. Talvez seja a altura onde os fotógrafos de casamentos mostram a si próprios do que são capazes. Pelo menos é onde me testo, e o resultado não me parece nada mal.

Noiva, rindo, entre balões e convidados.
Noivo a ser abraçado e noiva a rir, ao lado, em momento de congratulações.
Noivo, ao fundo, e noiva a receber congratulações depois da cerimónia.

Share This:

Leave a Comment

  • (will not be published)