Outros que fotografam, no casamento, e são atenção do fotógrafo

FOTÓGRAFOS DE CASAMENTO e INSTANTÂNEOS

Desde que começou a fotografia, a rapidez com que ela chega aos olhos sempre teve um grande interesse por quem a pratica e por quem a vê. Ás vezes uma marca acaba por designar um produto ou uma acção. Ainda hoje há países que chamam xerox a uma fotocópia, o momento kodak é bem conhecido pelos amantes de fotografia e o instantâneo polaroid só foi derrotado pela geração digital. Mesmo aqui, a máquina fotográfica começa a ficar timidamente envergonhada a ser preterida pelo telemóvel que, além de telefonar, é, hoje, a máquina de roubar fotografias de eleição.

Daí, o fotógrafo de casamento se deparar constantemente com olhares sobre smartfones olha aqui como ficou faz outra para se ver fica melhor ai que giro mostra mostra mostra e o fotógrafo de casamento o rondar tudo sem ter nada para mostrar…agora. Poderia ficar a sentir-se deslocado, talvez um pouco deprimido e perder o interesse na continuação da cobertura do casamento, para o qual foi ali chamado.

Mas não é nada disso. Para ele, que tem a função de fotografar o casamento, tudo é assunto, tudo tem interesse e tudo faz parte da história do dia. Se o fotógrafo de casamento é um perseguidor de momentos, para ir arquivando no cartão de memória da sua máquina fotográfica, então a reacção das pessoas a sentir-se fotografadas e a olhar, logo de seguida, para si próprias não pode ser melhor para a atenção de máquinas que só vão mostrar depois. Nada fica de fora.

Amigas da noiva vendo fotografias num telemóvel depois da cerimónia do casamento, na Nazaré.

Share This:

Leave a Comment

  • (will not be published)