Quando o fotógrafo fica de casamento

A RAZÃO DE do FOTÓGRAFO DE CASAMENTOS

Existem várias razões para se ficar fotógrafo de casamentos. Sim, penso que não se é fotógrafo de casamento, fica-se. Tudo o que fazemos tem sempre um ponto de início mesmo que, muitas vezes, já nem nos lembremos porquê. Pode-se chegar porque era já um negócio de família, pode-se chegar apenas porque pode ser uma forma de ganhar a vida, pode-se chegar porque se achou graça ver fazer isso num casamento onde se esteve, etc.

No entanto, parece-me, os fotógrafos de casamento que o são é porque ficaram. A primeira razão deve conter o gosto pela fotografia a fazer, sem o qual não se pode fotografar. A segunda é porque aconteceu chegar a um lugar onde se sente a que se pertence. Aqui eu sou feliz. Aqui eu faço o que o meu corpo e a minha mente se acham a fazer. Aqui eu vejo-me a querer sempre fazer melhor. Aqui…eu estou.

Da minha parte foi assim. Já fazia fotografia profissional havia mais de quinze anos e não me sentia lá muito feliz, mas era o meu ganha pão e a que me fazia feliz, com amor mesmo, era rara. Um dia, alguém me desafia para fotografar um casamento mas não sei nunca fotografei nenhum faço lá ideia do que é que é importante as pessoas podem não gostar…está bem, eu vou. E fiquei. Fiquei fotógrafo de casamento até hoje sem vontade nenhuma de me ir embora.

Casal de noivos a rir, sentados no chão na Quinta dos Pézinhos do Tejo.
Noivo, com cara muito feliz, a olhar para a noiva.
Noivos abraçados, na sessão de fotos, o olhar para o Tejo, fora da foto.
Noivos, no dia do casamento, a posar para fotógrafo na Quinta dos Pézinhos no Tejo.
Noiva com a filha, que tem a cara pintada.
Noiva sentada, com as mãos cruzadas.
Noivo, satisfeito, debaixo da luz do pôr do sol.
Noivos, de mãos dadas, em luz de pôr do sol na Quinta dos Pézinhos no Tejo.

Share This:

Leave a Comment

  • (will not be published)