A noiva sendo maquilhada entre os materiais de trabalho da maquilhadora, num ponto de vista do fotógrafo de casamento.

Os pontos de vista do fotógrafo, nos casamentos

EXPERIÊNCIAS pelo FOTÓGRAFO DE CASAMENTO

A noiva sendo maquilhada entre os materiais de trabalho da maquilhadora, num ponto de vista do fotógrafo de casamento.

Muitas vezes, quando fotografo de casamentos, dou por mim a perguntar-me se estou ali, no dia do casamento com o casal de noivos, a fotografar para eles ou para mim.

É verdade. Por exemplo, quando estou a fotografar a noiva, na sua preparação junto da cabeleireira e da maquilhadora, dou por mim a tentar descobrir os pontos de vista mais estranhos e complicados, que possa aproveitar no espaço.

Nem quero pensar na figura que faço, se vista por outras pessoas no mesmo local. Já não é a primeira vez que dou por alguém com aqueles olhos que não nos deixam muito descansados, quando quem deveria chamar a atenção seria a linda noiva em fase de metamorfose.

A culpa é sempre do mesmo. Do ponto de vista. É ele o grande culpado das figuras um pouco estranhas que o fotógrafo de casamento é obrigado a fazer.

Acredito que quem me veja se questione do meu estado mental e, se for senhora, se preocupe muito com o estado de limpeza do meu fato que, apesar de sair impecável de casa, sujeito aos mau tratos, a que o ponto de vista me obriga, nunca se sabe das condições a que chega a casa.

É sacrifício que ele, o fato, suporta com gáudio porque sabe que também faz parte dos meus ajudantes e, todos eles, aceitam a sua dose de desconforto e sacrifício e, no próximo casamento, já está, limpinho de novo, impaciente para nova aventura.

Isto porque o fotógrafo de casamento aproveita sempre o tempo e o espaço onde se encontra para cumprir a sua obrigação, contar a história do casamento, para com o casal do dia, e aproveitar para experimentar novos pontos de vista, dos quais possam resultar melhores fotografias.

Digamos que me divido, apesar de sempre único, no profissional com resultado a entregar, e, ao mesmo tempo, aquele cientista das experiências sujeito a figuras mais ou menos inusitadas, para não dizer tristes, mas que o levam a descobrir soluções para ganho destes noivos e dos próximos.

Para isso, vale sempre a pena as tais…figurinhas.

Rosto da noiva com mão que lhe pinta os olhos, num espelho redondo, numa composição do fotógrafo de casamento.
O rosto da noiva entre objectos desfocados que criam uma nuvem transparente, resultado do ponto de vista e das lentes do fotógrafo de casamento em Lisboa.
A mão da maquilhadora segura um lápis que pinta os lábios da noiva, vista de perfil pelo fotógrafo de casamento.

Leave a Comment

  • (will not be published)